sexta-feira, agosto 21, 2009 | Autor: Ebenézer Teles Borges

Hoje o parque do Ibirapuera está completando 55 anos de existência. Seu nome deriva do tupi "ypi-ra-ouêra" que quer dizer literalmente "o que já foi madeira", ou, como preferem alguns, "madeira apodrecida". A região, que já foi um pântano, é hoje um oásis de verde vivo circundado por concreto e asfalto.

Adoro o Ibirapuera! Sempre que posso apareço por lá para um trote. O lugar é bonito e acolhedor, sempre cheio de gente disposta, animada e alegre. E essa alegria as deixa mais belas!

Estive lá pela última vez no domingo passado (16/08/2009) e aproveitei para correr margeando internamente o parque, num percurso conhecido como a "volta da cerca". Dos lugares que conheço, esse é o que considero melhor para se correr aqui na cidade de São Paulo. A maior parte do percurso é de terra batida, sob árvores, às vezes margeando o lago. E você não corre só. Sempre há mais alguém por ali, o que torna o prazer de correr mais completo. No último domingo fiz um treino muito bom. Foram 10 Km em 0:49:07h.

Hoje, aniversário do parque, não me foi possível ir até lá... Mas, à distância, o parabenizo por ser o que é: uma ilha verde, maravilhosa e acolhedora, capaz de despertar em quem o visita a agradável sensação de não estar na maior metrópole da América do Sul.
Acompanhe as postagens desse blog por meio de RSS 2.0 feed. Você pode deixar uma resposta ou comentário de seu próprio site.

4 comentários:

On 22 de agosto de 2009 08:31 , Cleiton Heredia disse...

Estava vendo na TV uma reportagem sobre o Parque do Ibirapuera e lá foi dito que devido a sua localização (circundado por avenidas de grande circulação de veículos automotores), ele não é um lugar assim tão ideal para a prática de corrida como muitos pensam.

A explicação que deram foi a seguinte:

A fuligem (partículas sólidas da poluição) proveniente destes veículos é depositada diariamente sobre o parque formando uma fina camada no solo. O corredor quando passa, bate o pé no chão e levanta toda aquela fuligem que acaba sendo inalada e vai parar direto dentro de seus pulmões. A situação é ainda pior para aquele que está correndo atrás de uma outra pessoa, pois a primeira lenvanta a fuligem e a que vem atrás respira.

A reportagem não falou, mas pela lógica acredito que isto aconteça para quem corre nas alamedas asfaltadas do parque. Acredito que na corrida sobre a grama isto seja amenizado, devido a terra macia absorver parte do impacto do pés.

Mas mesmo assim, em se falando de São Paulo, o Parque do Ibirapuera é ainda um dos menos piores lugares para se praticar exercícios (melhor que correr pelas avenidas respirando direto a fumaça que sai do escapamento dos carros).

 
On 22 de agosto de 2009 11:09 , CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Tenho passado por ele. Aliás sob ele. Túnel Ayrton Senna. Fora isso é, de fato, um lugar marcante.

 
On 25 de agosto de 2009 22:43 , Micha disse...

Gosto de ir ao parque.É um bom lugar para andar de bicicleta!
Já reparou que lá acontecem diversos encontros de "tribos urbanas",como Otakus,skatistas,emos...juro que já vi até hippies!!! É interessante a diversidade cultural de pessoas...ahahaha
Ah, e o que dizer das exposições?O Ibirapuera serviu de palco para a exposição "Star Wars Brasil", a única na América Latina!

Gostei do post!

=D

 
On 2 de setembro de 2009 08:33 , Cleiton Heredia disse...

Engraçado...
Os argentinos também falam que a exposição Star Wars Argentina foi a única da América Latina.
Também só podia ser, levando-se em conta que na América Latina só existe um Brasil e uma Argentina (rs).

 
Related Posts with Thumbnails