quarta-feira, outubro 21, 2009 | Autor: Ebenézer Teles Borges
Quando digo "meu Deus",
afirmo a propriedade.
Há mil deuses pessoais
em nichos da cidade.

Quando digo "meu Deus",
crio cumplicidade.
Mais fraco, sou mais forte
do que a desirmandade.

Quando digo "meu Deus",
grito minha orfandade.
O rei que me ofereço
rouba-me a liberdade.

Quando digo "meu Deus",
choro minha ansiedade.
Não sei que fazer dele
na microeternidade.

Autor: Carlos Drummond Andrade
Categoria: |
Acompanhe as postagens desse blog por meio de RSS 2.0 feed. Você pode deixar uma resposta ou comentário de seu próprio site.

1 comentários:

On 22 de outubro de 2009 00:05 , CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Drummond sempre nos surpreende. Será que ele era depressivo?

 
Related Posts with Thumbnails