sábado, julho 16, 2011 | Autor: Ebenézer Teles Borges
Estou sem inspiração para escrever. Minha amizade com as letras vem se esvaecendo. Já não somos íntimos, se é que em algum dia o fomos. Por isso, quase não passo mais aqui para dar forma aos pensamentos, construir expressões e registrá-los em palavras. Mas hoje... hoje não dá para me manter distante e calado. Preciso escrever!

Os tempos mudaram. Caneta, lápis e papel são coisas do passado. Hoje é tudo digital. Bits e bytes abandonaram as sombras sinistras do anonimato e se transformaram em atores principais no palco iluminado ocupado pelos computadores. Caneta e lápis cederam lugar aos teclados de notebooks e às telas sensíveis a toque das novas estrelas em ascensão, os tablets.

Os tempos mudaram, fluíram, passaram: horas formaram dias, que se combinaram em semanas, que se acumularam em meses, que se fundiram em mais um ano de vida – mais um aniversário. Por isso, aqui estou, sem canela ou lápis, deslizando os dedos sobre o teclado suave de um notebook e registrando esse momento, não em papel e sim nas páginas virtuais do caderno digital da internet.

"Feliz aniversário para mim"! É o que digo, ou melhor, escrevo, ou melhor, digito.

Os dicionários definem aniversário como "algo que vem, que chega, que volta, que se faz a cada ano" (Houaiss). Essa palavra deriva do latim annus (ano) e versum (voltar, virar). Mas etimologia tem a ver com o passado, com a origem da palavra, e não com seu significado subjetivo e subjacente àquele que, neste dia, se vê completando mais um ano de vida.

Para uns, aniversário é sinônimo de festas e presentes. Para outros, encontros com pessoas. Para outros ainda, um momento de recolhimento e introspecção. E há aqueles que vêem no aniversário apenas um passo a mais em direção ao fim indesejado e inevitável.

E para mim, o que é completar mais um ano de vida?

Talvez seja um pouco de tudo isso aí. Mas esse aniversário, em especial, veio marcado por uma atitude positiva em relação à vida. Eu disse "atitude" e não apenas "reflexão". Vivo um momento único (e existe algum momento que não seja novo ou único?). Decisões têm sido tomadas, escolhas têm sido feitas e, embora o caminho à frente não se mostre nítido e claro, a disposição para prosseguir, para seguir adiante, mantém-se firme e forte.

Para mim, a vida é uma dádiva, um presente. Gosto da palavra "presente" porque, além de designar este momento no tempo ela também quer dizer "brinde", "graça", "dádiva", "algo que nos é ofertado". Aniversário é um momento para celebração dessa dádiva, a dádiva de estar aqui agora.

Numa rápida consulta à internet, encontrei dados do IBGE do ano de 2007. Os números não são atuais mais servem como referência para uma rápida reflexão. Naquele ano nasceram 2.750.836 no Brasil e morreram 1.046.135. Caso esses números tenham sido mantidos, entre o aniversário anterior e o atual, morreram mais de um milhão de pessoas em nosso país, mas nós – você e eu – ainda estamos aqui, presentes, respirando.

A vida é bela e breve, preciosa e frágil. Um mistério que nos surpreende, arrebata e assusta. Um convite à aventura. Viver é bom, mas nem sempre é fácil. Às vezes, viver dói – e como dói! A despeito disso, viver sempre vale à pena. E esse presente, essa dádiva, a oportunidade de ainda estar aqui – às vezes sob a luz fulgurante, quente e dourado do sol, outras vezes sob o brilho pálido, frio e prateado da lua – que eu faço questão de comemorar hoje.

Mais um ano de vida completo hoje. Ano de lutas, de algumas conquistas e algumas derrotas; de paz temperada com pitadas de angústias; de certezas frágeis e dúvidas resistentes; de superação. Chego aqui com saúde e disposição para prosseguir. Às vezes sinto medo, mas os anos de experiência têm me ensinado a lidar melhor com ele, a encará-lo nos olhos e fazer cara de bravo, a despeito do friozinho na barriga.

Hoje, olho pra trás com gratidão e pra frente com esperança e fé. Ainda sinto o enorme desejo de encontro tempo – mais tempo – para fazer aquilo que me apraz. Eis aí uma meta para o novo ano que acaba de começar.

Hoje é meu dia, então, sem falsa modéstia, desejo a mim mesmo um "feliz aniversário" porque eu mereço! (rs)

Agradeço aos amigos que ligaram, digitaram recados em redes sociais, enviaram sinal de fumaça, etc. Valeu!
Categoria: |
Acompanhe as postagens desse blog por meio de RSS 2.0 feed. Você pode deixar uma resposta ou comentário de seu próprio site.

2 comentários:

On 17 de julho de 2011 15:58 , Cleiton Heredia disse...

É isto aí, meu amigo.

A vida é rara e maravilhosa.

Feliz aniversário!

Cleiton

 
On 17 de julho de 2011 18:23 , CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Estive fora, cheguei agora há pouco. Feliz aniversário!

Enéias

 
Related Posts with Thumbnails